segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Nossos Olhos, Nossa Casa...





Resultado de imagem para imagem de pinturas elzbieta brozek




Estou em ti,
a maestrina da onda que leva
alegria a tatuar o teu sorriso do dia.

Estou em ti,
colada na tua pele em forma de desejo ardente.
Os teus pensamentos percorrem os meus
para o mesmo espaço de existência.

Estou em ti
Sem ausências
Sem distâncias
Sem dúvidas.
Uma completude sem anulação.

A luz dos meus olhos
    atravessa
lugares
    e fica
em todas as horas
no chamamento
   a te evocar.

Nossos olhos,
janelas abertas
da nossa casa.
Neles,
o inicio do fogo que incendeia nossas passagens.



Suzete Brainer (Direitos autorais registrados)

Imagem: Obra de Elzbieta Brozek.




               


17 comentários:


  1. tudo pode a Mulher, "maestrina da onde que leva a alegria", em sua entrega sem mácula.

    e nessa dádiva absoluta - "sem ausências/sem distâncias/sem dúvidas" - completa dons, nunca regateia afectos. acrescenta, não diminui.

    Suzete, querida amiga

    mais que um poema de amor, trata-se de uma celebração festiva (do amor sem poluições) aquilo nos propõe com tão belas palavras

    uma composição admirável, poema, ilustração e música.

    absolutamente rendido e encantado com tamanha arte.

    beijo, minha Amiga

    ResponderExcluir
  2. Belíssimo, Suzete! Muito show! Uma das melhores coisa que eu já li por aqui. Muito bonito mesmo! Abraços, daqui mesmo da terrinha, rs.

    ResponderExcluir
  3. Absolutamente maravilhoso!!!! Só digo que, se a Suzete me permitir, qualquer dia destacarei este poema lindíssimo, lá no meu canto... entretanto no meu próximo post... sairá um pedacinho de um outro belíssimo trabalho seu... que procurei adequar da melhor forma, a uma das minhas fotos que tenho por aqui...
    Sairá também uma versão em inglês... que caso a Suzete tenha alguma objecção ou desejar mudar algo nela... é só fazer-me notar tal, e será imediatamente alterada...
    Se a Net não me pregar nenhuma partida... sairá durante esta semana, ainda...
    Beijinhos! Continuação de uma óptima semana!
    Ana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana,
      Tu és uma querida!...
      Claro que sim, aprovo tudo e fico grata
      de fazer parte no teu espaço, no padrão
      de qualidade de arte e generosidade da
      Ana luz! (espero que não se importe com este
      meu apelido carinhoso a ti,luz, sinto esta
      luz Ser em ti...)...rss
      Como também já te disse antes, pretendo colocar
      uma foto-arte tua aqui, junto com um texto meu,
      viu, querida?!
      Beijinhos!
      Feliz semana neste mar das tuas férias,
      fácil ser feliz aí, Ana!...rss

      Excluir
    2. Será uma alegria imensa, que utilize uma das minhas fotos, Suzete!...
      Claro que o pode fazer...
      Talvez não saiba ainda... mas existe uma razão para tantas vezes a luz... ser algo recorrente nas minhas fotos...
      Em tempos, tive uma grande amiga, chamada Luz... praticamente uma segunda mãe... e um daqueles anjos da guarda, que atravessam nossas vidas no momento certo... já partiu faz tempo... mas é o jeito de a sentir sempre por perto em tudo o que faço, e de continuar agradecendo o que fez por mim, e pelos meus, numa altura bastante atribulada...
      Sempre que me é possível... algo luminoso, está mesmo presente nas minhas fotos...
      Um beijinho grande! Feliz semana!
      Ana

      Excluir
  4. o amor é a nossa casa li algures
    este poema transborda ternura, amor e um pouco de sensualismo qb.
    gostei deveras

    beijinho

    :)

    ResponderExcluir
  5. Que doce de inspiração, amiga!

    'Estou em ti
    Sem ausências
    Sem distâncias
    Sem dúvidas.
    Uma completude sem anulação'.

    Esse mundo 'doente' precisaria de mais poesia nos corações e na mente. Algo que bata fundo e com ternura.
    Beijo, querida.

    ResponderExcluir
  6. Suzete,
    Ao ler este o seu poema, “Nossos olhos, Nossa casa...”, pensei logo no comentário que faria, como deve ocorrer com muitos, mas estaquei. Então, reli o poema, como o vagar que se faz necessário, e depois fiquei descansando os olhos na imagem que está sobre o poema. Logo tudo ficou claro, diria apenas, por mais não precisar, que “Nossos olhos, Nossa casa...” é um belíssimo poema. Parabéns.
    Abraço.
    Pedro.

    ResponderExcluir
  7. Quando os olhos são as janelas abertas da casa, há paz e amor nesse lar.
    Excelente poema, minha amiga, foi mais uma vez brilhante com as palavras.
    Suzete, tem uma boa semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  8. oi Suzete, seu poema é uma verdadeira declaração de amor♥bjs

    ResponderExcluir
  9. Descanso os olhos nas suas belas e sentidas palavras

    Bj

    ResponderExcluir
  10. Descanso os olhos nas suas belas e sentidas palavras

    Bj

    ResponderExcluir
  11. Olá, Suzete!

    Como vai? Aqui, tudo satisfatório.

    Estive no blogue da Ana Freire, aquela "minina antipática" e "nada" humanitária - risos - e prometi lá, k viria até cá. Pronto, estou cumprindo e estou tentando comentar esse seu post, pke ter sido esse k a Ana escolheu para postar no blogue dela.

    Um poema de amor, de doação e entrega, sem reservas. Estar em alguém, mesmo sem estar, fisicamente, lá, é algo sublime, completo e acolhedor.

    Não sei se tudo começa ou não nos olhos, ou talvez, mais interiormente, na alma, mas o fogo, esse fogo da paixão de k você fala, aqui, ah, esse não obedece a portas, nem janelas, a nada mesmo, não!

    Escutei o vídeo, k já conhecia, mas o achei um pouco triste. Todavia, João Gilberto é João Gilberto!

    Beijos e bom domingo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Céu!

      A sua gentileza na visita em consideração
      a querida Ana, realmente ela é uma pessoa especial!

      Uma semana de paz para você!

      Excluir
  12. Retificando, Su!

    O poema, ou uma parte dele, não sei, escolhido pela Ana Freire não foi referente a esse poema, mas a outro seu.
    As minhas desculpas!

    Beijos e luminoso domingo.

    ResponderExcluir
  13. "Nossos Olhos, Nossa Casa"... E já é poema, este título que traduz, na perfeição, esse adentramento, essa química e essa "completude", que, só um amor de verdade proporciona.
    Belíssimo e intenso.
    Bjo, querida Suzete :)

    ResponderExcluir
  14. “Eu sei” escutei
    que diz João (Gilberto)...
    e botei
    minha cabeça
    no teu poema

    Eu sei
    e sinto
    o quê não sei
    O que sei
    és tu poesia

    Bj

    ResponderExcluir

Este é um espaço importante para você deixar inscrito:

A sua presença,

O seu sentir,

A sua leitura,

A sua palavra.

Grata por compartilhar este momento de leitura aqui!

Abraço de Paz!

Suzete Brainer.