quarta-feira, 30 de março de 2016

Música luminosa do Criador Egberto Gismonti!...








O músico Egberto Gismonti é o sobrenatural  do patamar além
da beleza, uma música singular e original na sofisticação musical com a
evocação de emoções emitidas que nos abraça, num laço do
sentir mais sublime e encantador...
Partilha: Aos meus 18 anos assisti um show dele aqui em Recife, único
e inesquecível. Fui só ao show para ficar totalmente conectada com
a sua música. Fiquei na primeira fila, perto dele e do Piano. No final, 
estava com o meu rosto todo molhado de lágrimas silenciosas no
acompanhamento de toda apresentação. E continue alguns minutos
depois do show no mesmo lugar, num encantamento, enquanto o tumulto
das pessoas à minha volta. Quase não acreditei, quando o Músico chegou
perto de mim, tocou na minha mão e plantou esta frase: "Obrigado pela
sua emoção com a minha música!..." e antes que eu falasse ou um gesto,
ele foi carregado pelas fãs elétricas!...rss
Tenho todos os discos de vinil, presenteados pelo o meu amigo falecido
( Filósofo Buguês...). As capas dos discos são obras de arte, além da
 música especial!... 
Para quem conhece e quem não conhece o Encantador de música,
Egberto Gismonti!

Beijo e Abraço de Paz...




quarta-feira, 23 de março de 2016

Sentires de Sol










Solta,

Toco o teu rosto com um beijo

E deixo a minha lavanda

Suavemente na tua pele,

Inscrita de mim...



Perto,

Os meus olhos passeiam

Pela tua lista de desejos,

E demoradamente fico...



Agora,

Somos nós,

A minha boca me diz da tua,

Numa manhã eterna

De sentires de Sol!...




Suzete Brainer (Direitos autorais registrados)


Imagem: Obra de Andrew Astroshenko.






terça-feira, 22 de março de 2016

Um Poeta Maior!...









 Um  Poeta Maior, com as suas Músicas que falam
 do amor numa expressão bela, poética e original...
Com a sua morte, esta Poesia do amor ficou fechada.
A sua voz  poética era única!...
Saudade de não mais poder escutar suas novas
composições inspiradas por um coração que sempre
sangrava a pura emoção!...
Para quem conhece e quem não conhece,
o precioso Gonzaguinha!!


sábado, 19 de março de 2016

Dança de Poeira e Poesia...












Ela não entendia muito bem o universo das folhas, algumas caiam longe e outras perto e em fileira, como se cada sinal fosse uma frase enigmaticamente vestida de poeira e poesia.

Quando o vento regia a música, elas dançavam a se espalhar e num espaço de tempo, cada uma ocupava uma nota na escala musical da vida...

Deveria ser fácil Ser folha - pensava - enquanto a dança das folhas continuava, às vezes acelerada e subindo os corredores verdes. Noutras vezes, lentamente e arrastando a poeira do chão. As folhas são felizes por serem folhas. As pessoas complicam, querendo Ser outras.

Dentro de nós existem várias folhas de Eus novinhos a serem descobertos e libertados para a dança da vida...


Ela novamente pensou, talvez não seja fácil Ser genuinamente vivo. Viver exige uma arte de introspecção e interação a cada movimento, nesta dança de poeira e poesia.





Suzete Brainer (Direitos autorais registrados)

Imagem: Obra de Daniel Gerhartz.




sexta-feira, 11 de março de 2016

Valsa das Flores de Tchaikovsky!...




       



                                                     Uma Breve Pausa!...
     
                                         Beijo e Abraço de Paz!



                                       

terça-feira, 8 de março de 2016

A Ciranda na Escola...












Era o seu primeiro dia de aula. Uma menina loira, tímida e observadora, ao escutar a voz da professora: “Entre, querida”, percebeu que a sua voz transmitia carinho. Entrou sem hesitação.

Toda a sua resistência para sair de casa tinha diminuído, por não querer deixar as bonecas ausentes da mãe: – ela se sentia mãe das bonecas.   Afinal, aquele local tinha seu encanto; uma professora gentil e algumas crianças assustadas, outras com lágrimas perduradas nos olhos e outras querendo brincar. Uma pegou na sua mão e lhe deu uma boneca sem cabeça. Pensou em recusar. Mas desistiu, e levou a boneca sem cabeça presa ao braço, como fazem as aves com seus filhotes debaixo das asas.

Ao observar uma menina bem triste no canto da sala, resolveu ficar com ela, amparada na sua tristeza de ser invisível para todos. Logo a professora chamou-a para perto e foi quando teve a ideia de levar a menina junto. Fez como a outra menina com ela, também pegou na sua mão e carregou para junto da professora. A diferença, é que não lhe presenteou com uma boneca sem cabeça.

No final, todas as meninas de mãos dadas, numa grande roda, com a professora cantando. Uma alegria contagiante. Como era gentil e alegre a professora! Mas não nasceu para o canto, e a musicalidade inexistente nela, com sua voz estridente e fora do compasso; distribuía carinhos nomeados (a cada criança), selando, assim, a harmonia do encontro.

Agora, deixava que a sua mãe lhe fizesse as tranças no cabelo, sem reclamar. Gostava de ir para escola, ficar naquela ciranda de afetos e brincadeiras. Procurava imaginar a voz estridente da professora, como um pássaro que cantava diferente. E diferente também era o seu amor para com todas as meninas: na sua sala não existia meninas tristes, todas tinham um sorriso que fazia barulhos no lugar das lágrimas perduradas.

Esta professora ficou desenhada no seu livro de colorir o universo, quando ele fica cinza. Ela era um pássaro que cantava diferente. A sua melodia mais importante era o amor que passava para cada menina, como o anel na brincadeira infantil, só que o anel era o Dia no compromisso da alegria de Ser Criança!...


Dedicado a Socorro Honório, minha primeira lição de amor fora de casa.


Suzete Brainer (Direitos autorais registrados)

Imagem: Obra de Vladimir Vologov.






domingo, 6 de março de 2016

O Sol Música : Eric Clapton!!










                               Amo a expressão musical deste
                        Sol Eric Clapton!...
                        Ele é a expressão musical num
                        sentido amplo e o todo ele é
                        música, enquanto grande artista
                        em palco e acompanhado de
                        músicos na mesma onda musical
                        de excelência e magnetismo!...

                                                                                                                        

                           Beijo e Abraço de Paz!



        

quinta-feira, 3 de março de 2016

Trago Folhas por Dentro do Silêncio Que me Acende.











 Trago folhas por dentro do silêncio que me acende.


Uma melodia a me vestir de ontem,

Bem cedo,

Quando o Sol disse o sim...


À noite, as palavras fugiam

Cercadas de mistérios e dúvidas.

Um círculo azul me envolveu no agora translúcido de ecos.


Fui entardecendo as horas sem pressa

A ocupar espaços sem gavetas,

Espalhadas no galope de um vazio sem dono.


Mas, a porta semiaberta

Permitia a luz entrar na hora marcada.




Suzete Brainer (Direitos autorais registrados)

Imagem: Obra de Daniel Gerhartz.




terça-feira, 1 de março de 2016

Um Ponto na Imensidão













Um ponto apenas, meu,

No teu olhar que me procura.

A minha doçura de saudade

Dissolverá a pequena distância

Deste teu olhar,

No nascimento da palavra

Do meu nome pronunciado por ti.


Um ponto apenas,

Somos,

No abraço das nossas mãos

Sem abandono.


Um ponto,

Fica

O nosso olhar no mesmo infinito.


Um ponto,

Sempre,

Quando o relógio avisa

Que não temos horas suficientes

Para a nossa eternidade!...






Suzete Brainer ( Direitos autorais registrados)

Imagem: Obra de Lídia Wylangowska.