quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Delicado Voo




Resultado de imagem para imagem de pinturas de richard s johnson




Ela deixou as palavras ocuparem os seus lugares e, num ponto de observação, vestiu as suas mãos de significados invisíveis aos olhos nus.

Num aceno de adeus deixou sentires únicos vibrar com as asas emprestadas da sua vizinha de árvore vista da janela - uma Bem-te-vi-,  que generosamente doou a possibilidade do voo num espaço etéreo dos sonhos guardados; escritos no guardanapo rosa da poesia sem nome e sem estrada.


Ela foi neste céu sem nuvem. Nenhuma palavra morta circulava e gestos de pássaros inscritos de silêncios, deixaram as suas belas lembranças passearem por dentro, acordando delicadamente o imprescindível sentir. 


Suzete Brainer (Direitos autorais registrados)

Imagem: Obra de Richard S. Johnson.




15 comentários:

  1. Um voo sem despedida!
    Versos deslumbrantes Suzete!
    O eu lírico dissertado com exímia propriedade de metáforas e musicalidade
    Beijinhos minha linda amiga

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Amiga,

      Muito grata pelo belíssimo e generoso comentário
      repleto do teu olhar de poesia e amizade.
      Beijinhos.

      Excluir
  2. Depois de ler a poesia e ate mesmo o comentário acima, fico com vergonha ate de comentar. Essa maneira de escrever me encanta. Amo poemas, poesias desde criança e ainda hoje tenho aqueles antigos cadernos de poesias. Fico feliz em encontrar um blog assim que encante a alma com palavras tão bela!
    Bjuss uma bela noite a ti!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito Grata pela tua visita e comentário generoso,
      me honra muito as tuas palavras!!
      Volte sempre e és muito bem vinda!
      Somos duas a amar a Poesia e irei visitar o teu
      espaço para ler estes poemas, querida.
      Bela noite para ti também.
      Beijos.

      Excluir
  3. [..."gestos de pássaros inscritos de silêncios, deixaram as suas belas lembranças passearem por dentro, acordando delicadamente o imprescindível sentir."]

    e como se sente, e pensa, e escreve...
    e como é bela a música poética que,
    sem palavras mortas, toca o firmamento dum voo e o horizonte dum sonho.

    Muito belo poema (com imagem bem escolhida).

    Um beijo,Amiga

    ResponderExcluir
  4. É delicado cada galho poético com a tua assinatura. É incomensurável a beleza do voo.
    Beijo, Suzete.

    ResponderExcluir
  5. E vamos "vestindo as mãos de significados...", este é o foco no interior da linguagem deste bela prosa poética, Suzete. Essa bela relação através de metáforas com o exterior da vida, captando o momento mais sutil que ela oferece. Não basta um signo, é preciso sensibilidade.
    Um beijo, Suzete!

    ResponderExcluir
  6. Um texto deslumbrante, repleto de lirismo , e imagens poéticas muito bem escolhidas.
    Gostei muito de te ler neste registo Suzete. Consegues sempre surpreender-me, quer do ponto de vista criativo , quer de sublimação da poesia...

    Beijinho e bom fim de semana...

    ResponderExcluir
  7. Excelente prosa poética.
    Gostei imenso, parabéns pelo seu talento pra a escrita.
    Bom resto de domingo e boa semana, querida amiga Suzete.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  8. Suzete,

    Seria coisa pouca se a palavra poética que te visita e que envolve este belíssimo texto, ficasse cativa de um eventual lugar de exilio, ou expiação ou de mera “arrumação” na ordem das palavras.

    e que (a tua palavra poética) se desejasse envolver por em inebriantes adjectivos, sempre disponíveis para parasitar a expressividade genuína da poesia e o valor das palavras autêntica.

    Antes palavras mortas (que sempre se renovam) e o fragor das tempestades, que dulcificadas pelo caprichoso voo dos coloridos pássaros, certamente graciosos.

    E em cada uma delas (das tuas palavras) se alimente sempre da seiva criadora (e redentora) dos afectos.

    Beijo, minha Amiga

    ResponderExcluir
  9. e se ela deixou as palavras a ocuparem os seus lugares
    com elas aprendeu a voar na escrita
    muito belo!
    beijinhos
    :)

    ResponderExcluir
  10. Já dizia Antoine de Saint-Exupéry no "Le Petit Prince": só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos. É neste espírito que se inscreve o teu olhar que, com arte, traduzes em palavras.
    Meu bjo, amiga :)

    ResponderExcluir
  11. Pairando nas suas palavras, de uma leveza e sensibilidade, notáveis!...
    Sempre um doce prazer ler e apreciar o que escreve, Suzete!...
    Beijinho!
    Ana

    ResponderExcluir

Este é um espaço importante para você deixar inscrito:

A sua presença,

O seu sentir,

A sua leitura,

A sua palavra.

Grata por compartilhar este momento de leitura aqui!

Abraço de Paz!

Suzete Brainer.