segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Ela Flutuava na Leveza








    
Ela estava serena e delicadamente plena, se entardecendo nos seus sentires amanhecidos de saudade. Uma saudade com cheiro de hortelã mergulhado no chocolate amargo e quente...

Ela sabia da brevidade da vida, tudo deveria ser degustado em gotas de espanto e prazer. No espanto mora o inesperado e o prazer é um suspiro de beleza e verdade poética...

Ela não gostava de fazer planos de consumo, isso é empobrecer o encanto sutil do viver; o sonhar é tão perto (dentro do sentir) e buscar fora para carregar a mala de supérfluos, não lhe seduzia. Sempre precisou da leveza do desapego!....

Sempre quis o genuíno livremente. Ser inteiro de corpo e passeio na alma, impregnada de sorrisos aventureiros sem correntes que se apropriem da verdade do sentir...

Sempre acreditou na lealdade das mãos dadas na caminhada a dois. Na amizade dos olhos que se conhecem e dizem tudo. No silêncio partilhado na paz que abraça e na parceria do preto e branco das rotinas que não esmagam a sublimidade do prazer (solar) de se estar juntos.

Ela flutuava na leveza enquanto as palavras desfolhavam a sua singularidade na brisa do agora!...



Suzete Brainer (Direitos autorais registrados)

Imagem: Obra de Daniel Gerhartz.







18 comentários:

  1. Olá, boa tarde:- Simplesmente brilhante.
    .
    Deixando cumprimentos poéticos
    .
    = Paixão e Amor = Vulcão, e Fresca Maresia =

    ResponderExcluir
  2. E singular é tua arte poética.
    Teu verso genuíno e livre e teu trilho de espanto e prazer.
    Feliz inspiração, minha amiga! De leveza contagiante.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. iníssimo e delicado tule reveste as tuas palavras, como se em baFilado das "Mil Uma Noites", fossem desvendando um corpo vibrante de cores, movimentos e emoções para fruição do leitor, que aqui encontra sempre (em prosa ou em verso) um singular "universo poético" e uma Poesia sempre genuína e de extraordinária beleza.

    gostei muito, minha amiga Suzete Brainer

    beijo

    ResponderExcluir
  4. Deve ler-se na 1ª linha: "Finíssimo" e delicado ..., bem como "bailado"

    peço desculpa

    ResponderExcluir
  5. O seu texto poético está um mimo...Adorei de verdade. :))

    Hoje : Insano discernimento ...

    Bjos
    Votos de uma óptima Quinta - Feira

    ResponderExcluir
  6. Depois de uma primavera em que andei emprestado ao mundo, minha querida Suzete, volto para, neste momento, saborear a leveza das tuas palavras nesta delicada prosa poética. Pequenas grandes verdades aqui reveladas, descobertas, que nos ajudam a compreender a mundo do Eu e do Outro.
    Forte abraço, Su!

    ResponderExcluir
  7. A leveza com que vestes a tua poesia , a suavidade com que teces as tuas palavras , o desapego com que amorosamente te dás a vida - a tua vida - traz-nos um momento poético que nos adormece pela serenidade , beleza e paz
    Parabéns querida Suzete pela beleza da tua poética
    A minha gratidão pela palavras tão gentis que me deixaste e que fazem parte da tua generosidade. Obrigada !
    Um grande beijinho ❤️🌺❤️

    ResponderExcluir
  8. Viver assim é viver mais e melhor.
    Magnífico texto, parabéns pelo talento.
    Suzete, um bom fim de semana e um Natal muito Feliz.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  9. Suzete , minha amiga

    Tudo leve e belo , desde a imagem , passando pelo seu texto e terminando com a música escolhida .
    Parabéns e obrigada .
    Beijos e ótimo final de semana .

    ResponderExcluir
  10. Olá, amiga Suzete, não sei te mencionei, em comentários anteriores, se fiz em algumas crônicas que vinha-me à lembrança, um dos nossos grandes cronistas como veio agora, também, Paulo Mendes Campos que, como tu sabes, é um dos expoentes da nossa crônica e da nossa poesia. Quem sabe tal lembrança deve-se à sensibilidade desta tua belíssima crônica?
    Um bom fim de semana, amiga cronista e poeta.
    Beijo
    Pedro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu caro amigo Pedro,

      Sim, tu mencionaste e até citou em outras crônicas,
      outros Mestres Poetas, como o Mario Quintana.
      Isto me deixa muito feliz, neste caminho de aprendiz
      da Poesia, ser acompanhada pela tua contribuição,
      com leitura e apreciação, uma apreciação generosa
      do meu amigo e Grande Poeta e Escritor, Pedro
      Luso.

      Muito, muito grata, Pedro!!

      Meus votos de Boas Festas para ti, a querida
      Taís e filhos com harmonia, alegria e paz!
      Beijo grato.

      Excluir
  11. Palavras belas e leves, de uma sensibilidade tão grande, que toca a nossa alma de leitores. Obrigado por este maravilhoso momento.
    Bom fim de semana
    Beijinhos
    Maria
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  12. Uma prosa poética, magnífica e cheia de delicadeza. Gostei tanto…
    Que tenha um Natal de Amor e que o ano de 2019 seja cheio de coisas boas.
    Boas Festas!
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  13. Querida Suzete, eu já tinha lido essa bela e encantadora prosa, e mais, tinha certeza do meu comentário! Vi que não, mas apesar de já ter descido a página, será sempre belíssima e delicada.
    Beijo, querida!

    ResponderExcluir
  14. A subtileza da palavra ao serviço do sentir de gente é a tua dádiva nesta poética livre. Um toque um traço indelével a mostrar as verdades da relação e da complementaridade do diferente e dos contrastes. Que dizer, então, se me basta o que escreves? Leio-te.
    Boas Festas, querida amiga.

    ResponderExcluir
  15. Semre textos bonitos e em sintonia com as pinturas.
    beijinho
    Boas Festas

    ResponderExcluir
  16. A pura essência da poesia... em prosa...
    Maravilhoso trabalho, Suzete... leve... etéreo... e absolutamente sublime!...
    Deixo um beijinho, um abraço apertado, e os meus votos de continuação de Festas Felizes, para si e todos os seus!
    Ana

    ResponderExcluir

Este é um espaço importante para você deixar inscrito:

A sua presença,

O seu sentir,

A sua leitura,

A sua palavra.

Grata por compartilhar este momento de leitura aqui!

Abraço de Paz!

Suzete Brainer.