quarta-feira, 9 de maio de 2018

O Piano Toca Saudade da Minha Mãe



Resultado de imagem para imagem de pintura de elizabeth gadd


Já vem eu, mãe, com a minha tecla do piano repetida de minha eterna saudade de ti. Ultimamente o tempo se encontra tão árido, os caminhos cheios de pedregulhos e a minha sensibilidade toca o tecido da desproteção (quando a minha emoção estrangulada pelo peso das horas com cargas especificas), o choro não é acompanhado pelo teu sentir premonitório, que sempre se antecipava com aquele teu olhar imponente de certezas de mãe...

Esta minha pura, intensa e desfolhada saudade caminha pelos campos do teu olhar protetor, da tua gargalhada contagiante e das pétalas de sabedoria do teu jardim de palavras e silêncios! ...

Fico aqui no meu silêncio transbordante de ti, mãe!


Suzete Brainer (Direitos autorais registrados)

Imagem: Fotografia de Elizabeth Gadd.








25 comentários:

  1. saudade e amor de mãos dadas.
    bonita homenagem e belas palavras.
    beijinhos
    :)

    ResponderExcluir
  2. Uma prosa linda, Sublime!! Amei!

    Beijo. Boa noite

    ResponderExcluir
  3. Minha amiga , Suzete
    A saudade de sua mãe tão bem retratada no texto com a
    música de Chopin fazendo fundo , deixa nossa emoção à flor da pele .
    Você é uma grande artista e amorosa filha .
    Parabéns .
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Bom dia. Lindo texto. Adorei :))

    Hoje:- "O meu ilusório, fluindo"

    Bjos
    Votos de óptima Quinta-Feira

    ResponderExcluir
  5. Que lindo, Suzete, eu ainda não consigo escrever sobre o Dia das Mães. A minha faleceu de mãos dadas comigo, e no próprio hospital escrevi uma carta, ao lado dela e para ela. E ali, vendo ela se ir de um AVC. Muito triste. Muito marcante.
    Mas o fato de eu ler coisas lindas aqui, te tomar para mim tuas emoções, já é o bastante...já me traz muitas recordações. Mãe sofre e faz sofrer, mesmo quando morrem... na verdade não morrem, ficam do lado esquerdo do peito por toda a vida. Diariamente penso nela e no meu pai, um poço de carinho - também. Mas sua morte foi menos traumatizante. Mas minha mãe não aguentou a viuvez.
    Beijo, querida amiga.

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde, linda homenagem para a sua mãe, mostra o forte sentimento e saudade que sente.
    Feliz fim de semana,
    AG

    ResponderExcluir
  7. Texto belíssimo, de uma delicada sensibilidade que interpela o leitor pela infinita "dor da ausência", que tão bem descreve e pela serena convicção da autora de que, à saudade e mágoas presentes, se irá sobrepor, como bálsamo, "aquele olhar imponente ds certezas de mãe".

    beijo, amiga

    ResponderExcluir
  8. A mãe vive em nós. A minha partiu em Julho último.
    Como entendo o teu sentido e belo poema, minha querida amiga! Há desabafos que em nós se abafam. Quando eu entrava em casa (vivia comigo) trazia sempre algo para lhe contar. Ninguém nos escuta como ela escutava. Ninguém nos olha como ela nos olhava. Mas a verdade é que continua a viver em nós.
    Como tão bem dizes:
    "Fico aqui no meu silêncio transbordante de ti, mãe!"

    Beijinho, Suzete.

    ResponderExcluir
  9. Sempre te vejo, mãe. E te revejo, mas nunca saíste de perto de mim. A minha casa é a tua casa, ainda que possa parecer o que eu estou a dizer um lugar comum. Que imenso território sempre fostes para mim, mãe. Sempre a revejo, mãe! Revê-la é não perder teu perfume, teu carinho, tua aconchego, mãe! Ah, como é bom rever sempre os teus olhos nas vidraças esperando-me voltar da escola! Ah, mãe, mãe...

    Beijo,
    P.S.: As ameixas lembram demais a minha mãe, Suzete!

    ResponderExcluir
  10. A saudade da mãe que partiu é eterna.
    Bonita homenagem à sua mãe, gostei imenso das suas palavras.
    Bom fim de semana, amiga Suzete.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  11. Que lindo este hino às mães. Um grito que ecoará eternamente no coração daqueles que já as perderam ( que é meu caso). Acontece que elas não morreram, porque vivem em nós e em quem vier depois de nós. Um beijinho Suzete.

    ResponderExcluir
  12. Não falei da imagem linda, de tristeza, de saudade e de abandono! Como entendo. Assim senti essa bela foto. E o vídeo maravilhoso, Chopin... sempre um dos meus preferidos.
    Beijo, um bom fim de semana, Suzete!

    ResponderExcluir
  13. Palavras tão plenas de amor e saudade.
    Maravilhoso!!!
    Beijinhos
    Maria
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir

  14. Minha visita hoje é para deixar uma singela homenagem as mães.
    Ser mãe
    É reconduzir à vida aqueles
    que nos combateram no pretérito mais que perfeito.
    E depois da rápida jornada redentora,
    resgatar à Luz Divina os filhos mais adorados,
    elevando a Deus uma prece de agradecimento,
    pela oportunidade de muito ter amado
    e de ter podido ser... MÃE!
    Com amor e carinho..
    . Parabéns a Todas Mamães! E se você for mãe, parabéns, seja feliz e abençoada sempre!
    Mãe, que a beleza das flores, a doçura do mel e o brilho das estrelas envolvam você e que você continue irradiando este amor e esta alegria que você sempre ofereceu.
    feliz dia das mães!!!

    ResponderExcluir
  15. Palavras comoventes de saudade e amor querida Suzete
    Para você que assumiu de Deus o dom da criação,
    da doação e do amor incondicional
    os meus "Parabéns"
    Feliz Dias das mães
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Confesso que me emocionei ao lê-la, Suzete. E repito consigo "Fico aqui no meu silêncio transbordante de ti, mãe!".
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  17. A mãe, eterno escudo de todas as intempéries, eterno colo para qualquer desassossego...
    Um dia ela parte, tem que ser, e ficamos nós, aparentemente indefesos, e temos que bater as asas se queremos sobreviver, se queremos entender. E as asas movem-se, ó se movem, não há outra saída. Mas, no final do dia ou em qualquer dificuldade, a mãe está sempre presente. Ela será sempre a nossa âncora, o nosso subtil porto de abrigo.

    Um beijinho, Suzete :)

    ResponderExcluir
  18. Um poema muito bonito que gostei de ler e que me trouxe muita saudades de minha mãe.
    Adoro as fotografias da Elizabeth Gadd on Stampsy.
    Uma boa semana!
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  19. Olá, querida Suzete!
    Um poema lindo, uma saudade dolorida e uma imagem final totalmente cheia do que traduz este sentimento doído no coração pela dolorosa ternura que nunca morrerá...
    Seja muito feliz e abençoada junto aos seus amados!
    Bjm fraterno de paz e bem

    ResponderExcluir
  20. Desde que travamos conhecimento, sempre estive presente nos teus escritos poéticos de conversa profundamente saudosa com a tua mãe. Sempre diferentes na forma, mas sempre iguais no sentir. Este, parece-me ainda mais belo de tão intenso.
    Um bjo, querida amiga

    ResponderExcluir
  21. Olá, Suzete!
    Gostei imensamente, querida amiga, desta sua belíssima crônica-poética, que se encerra assim:

    "Fico aqui no meu silêncio transbordante de ti, mãe!"


    Desejo a você, Suzete, uma ótima semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  22. Querida, Suzete!
    Que prazer poder ler essa poesia. "Transbordante de ti", quanto amor transborda nessa frase. Amor, saudade e memórias que o tempo, por mais que passe, não consegue apagar.
    Acho que esse sentimento é que nos alimenta, essa certeza de amar e sermos amadas, esse tipo de amor transcende o tempo.
    Um abraço com carinho,
    Sônia

    ResponderExcluir
  23. Ah, eu sei desta voz travada na garganta, desta secura nos olhos de comportas presas. Mãe é saudade eterna e a poesia nos leva aos mais belos sentires para eterniza-las.
    Que doa esta saudade, que diz muito do que elas são e ou foram para nós Suzete.
    Beijos amiga.

    ResponderExcluir

Este é um espaço importante para você deixar inscrito:

A sua presença,

O seu sentir,

A sua leitura,

A sua palavra.

Grata por compartilhar este momento de leitura aqui!

Abraço de Paz!

Suzete Brainer.