segunda-feira, 16 de julho de 2012

CLARICE LISPECTOR MORA EM MIM...

                           


Clarice?
Moras em mim,
Bem perto,
Coração e mente,
Juntos no dialogo:
Com palavras soltas,
Que correm em busca da criação,
Sem nenhuma perfeição,
Sem nenhum critério,
Sem nenhuma armadura de sofisticação,
Sem nenhuma pretensão de eternidade.
Liberdade cheirando a natureza...
Solidão escolhida,
Bem escolhida,
Dias sim,
Dias sim
Bem dentro de mim.
Clarice Lispector?
Minha companheira das aventuras imaginárias,
Escrita nas paginas da vida,
Com seus mistérios intactos,
Enigmas,
Fatos,
Relatos.
O oculto permanece,
Em rosas vivas de um coração que sangra,
Mas brilha,
Um brilho único de renovação.
A menina que “roubava rosas com cem anos de perdão”
Morou sempre na mulher gigante da criação.
Seguindo os teus passos,
Não me separo da minha menina sorridente,
Que brinca, distraidamente pelos  dias...
Clarice,
Obrigada por cada palavra tua lida,
Sentida,
Entendida,
Assim de mãos dadas contigo,
Estrangeiras do mundo,
Das formas,
Do padrão...
Corro na loucura do banho de chuva,
Depois na segurança dos meus lençóis,
Mergulho nos sonhos,
Só meus,
E de mais ninguém.
Carrego o universo sem peso,
Com a leveza de quem está de passagem,
Passagem...

Suzete Brainer (Direitos autorais registrados).

Conselho: Ler Clarice Lispector faz bem para mente, coração e alma.


13 comentários:

  1. Querida amiga: li, quase com avidez, este poema à volta da Clarice e da tua identificação com a sua pessoa. Apesar de não ter um espelho à minha frente sei que os meus olhos sorriem e sinto nos lábios um sorriso à Gioconda.
    Leio trechos esparsos e vi uma entrevista dela em vídeo. Tenho algumas citações no meu blogue; em todo o caso sei ainda muito pouco dela.Mas sinto uma atração pela sua personalidade, considerando a época em que viveu...
    O teu poema é um poema envolvente, é o teu eu, o teu querer, a tua forma de estar na vida...Dentro de um certo alinhamento exterior, há todo a convulsão poéica de um interior que revelas nos versos que vais deixando fluir.
    E, de facto, há coisas só nossas; o sonho é a maior ousadia do ser humano, quanto a mim.
    Fico enleada com os teus escritos.

    Bjos, querida amiga :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga, sabes a Clarice é uma escritora(a arte faz o

      escritor eterno...),que a poesia naturalmente se

      expressa,nos conduzindo ao profundo,sensível e único

      olhar feminino que recria a realidade com doses de

      humor,espanto e criatividade libertária encantadora.

      Adorei o teu lindo comentário!!!

      Desejo um domingo luminoso para ti!

      Beijos.

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Todos temos uma poesia que corre dentro de nós
    Confesso que de Clarice pouco sei…
    Mas sei de ti, que és bruma e mar…!
    Em palavras enleadas a quem muito admiras teces belas
    Palavras, de ternura e apreço.

    Gosto sempre de te ler!
    Como sempre.

    Beijos Grandes Amiga

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida amiga,

      O que conheço da tua sensibilidade e talento poético,

      sei que também,irás gostar dos escritos da Clarice...

      Sempre adoro a tua presença luminosa aqui!!!

      Beijos grandes

      Excluir
  4. A escrita tem esse dom
    De nos tocar, de nos invadir, de nos mover

    Este teu poema, em crescendo, tem também essa característica,
    recriando as emoções de uma escrita em verso
    contagiando e despertando a vontade de a essa escrita aceder

    Sublinho o belo final

    "Mergulho nos sonhos,
    Só meus,
    E de mais ninguém.
    Carrego o universo sem peso,
    Com a leveza de quem está de passagem,
    Passagem..."

    Onde se encontra um traço de aparente dissonância

    Aparente

    É que o poema quase se lê como se fosse um livro que se abre no primeiro verso e a seguir se desfolheia
    E assim
    percebe-se que finda a leitura,
    o leitor se reencontre consigo mesmo,
    incorporando em si as emoções que da leitura retirou

    Bjo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido amigo,

      Que maravilha ser lida,entendida por ti...

      A tua genialidade poética e perceptiva,desfolhou o

      poema em sua essência e intenção,nas páginas dos

      livros e da vida pousar em realidade passageira,

      ficando na leveza dos sonhos...

      Adorei!!!

      Bjo.

      Excluir
  5. Sigo os teus passos e alguns de Clarisse Lispector. Também me colo e me identifico com as perspectivas poéticas de Clarisse. Boa imagem de partida no teu poema que busca o contentamento da renovação.
    Com "a leveza de quem está de passagem" fico a correr "na loucura de um banho de chuva".
    Obrigada pelo teu entusiasmo contagiante.

    Grande abraço querida amiga.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida amiga,

      Compreendo esse entusiamo contagiante,pois é assim que

      fico com a leitura dos teus poemas...

      É maravilhoso partilhar contigo!!!

      Desejo um domingo luminoso para ti!!

      Beijos.

      Excluir
  6. Há pessoas que moram em nós, apenas porque não nos é possível viver sem elas.
    A Clarisse Lispector foi uma escritora colossal. E ela iria gostar de saber que morava em ti.
    Gostei imenso do teu poema. As tuas palavras encantam...
    Beijo, querida amiga Suzete.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo Nilson,

      Para mim é muito valorosa a tua atenção e apreciação

      poética.

      Fico feliz e grata com esse teu olhar de grande poeta

      aqui!!!

      Beijo.

      Excluir
  7. Su,
    Que maravilha de poema! Clarisse bem que merece a grande homenagem dessa grande poetisa que você é.
    Te amo,
    Um grande Beijo.
    Belo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mor,

      Bom é receber a tua atenção e carinho...

      Um enorme Beijo!

      Su.

      Excluir

Este é um espaço importante para você deixar inscrito:

A sua presença,

O seu sentir,

A sua leitura,

A sua palavra.

Grata por compartilhar este momento de leitura aqui!

Abraço de Paz!

Suzete Brainer.