quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Há uma tristeza...









                 Há uma tristeza

                Que vem devagar

               Ocupando um espaço

               Sem nome

             Aleatoriamente intrusa,

            Estranha,

         Confusa.

            De asas de sombra

           De um tempo em

          Que o sol escondido

          Levou a esperança...


         Há uma tristeza

        Que feriu uma história

        Sangrou na memória

        Suturando a dor,

       A dor eclipsada

       Pela ilusão.




Suzete Brainer ( Direitos autorais registrados)


Imagem: Obra de Ignat Ignatov.



15 comentários:

  1. A tristeza capturada nas tuas belas metáforas, mas a

    dor mesmo profunda será de breve passagem

    naqueles de almas solar...

    A bela imagem que acompanha o poema,

    reflete a tristeza cercada no campo do sol posto...

    Adoro a tua imensa poesia!!

    Beijos no coração,Su!

    Nara.

    ResponderExcluir
  2. Não sei a dimensão da dor dos irmãos de jornada, portanto devo fica ao seu lado! abraços

    ResponderExcluir
  3. Toda a dor é estranha, invasiva, intrusa
    mesmo quando nome não tem
    mesmo quando chega devagar

    A ilusão é aleatoriamente fundamentada
    numa crença primordial
    que o tempo se encarrega de ferir, esconder, levar

    Somos assim,
    parte de um verso que se estende na memória
    de um tempo-sol
    que sempre se eclipsa, sangra
    constituindo-nos poema triste


    Toda a dor é tocante
    mais ainda quando é escrita sobre profunda emoção
    como a que em teus versos se sente

    Bjo. amigo

    ResponderExcluir
  4. Conheço demasiado bem essa tristeza sem aviso, que nos invade sem dar tréguas.
    Quando uma penumbra parece pousar sobre nós e não existem nenhum túnel real ou imaginário com uma réstia de luz ao fundo...
    Mas a ilusão socorre-nos quando essa dor ameaça toldar-nos todos os gestos. Mesmo que pareça distante existirá sempre um remédio para tudo; a ilusão arranja, comportando-se como um escudo imperceptível, porque "as ilusões sustentam a alma como as asas sustentam o pássaro".(Victor Hugo)
    Infelizmente identifico-me bastante com este tristemente belo e profundo poema.
    Gostei muito do poema e da tela escolhida para ilustrá-lo.
    Obrigada querida Suzete!
    xx

    ResponderExcluir
  5. Essa tristeza que vem assim do nada trás uma coisa que outro sentimento não traz.
    Ela trás poesia.
    Não é mesmo?
    Lindo poema Suzete.
    Beijo

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde querida amiga

    Amizade é um laço fraterno que vai se conquistando pouco a pouco.
    Amizade é um elo de Amor que vai se fortalecendo dia apôs dia.
    Amizade requer uma sabedoria toda própria, para que ela cresça e amadureça.
    Amizade é um sentimento de Amor que é perseverante nela mesma.
    Amizade é um sentimento fraterno entre duas ou mais pessoas, que fazem de um todo para fazer os seus amigos felizes.
    Muitas vezes deixam de fazer a sua própria vontade para fazer a do seu querido amigo, só para o ver com um lindo sorriso em seus lábios, que na transparência de seu olhar, sentem que este sorriso vem do fundo de seu coração.
    Obrigada por sua amizade.
    Por sua linda presença lá meu cantinho!
    Por seus amáveis comentários.
    Obrigada de todo o coração
    Uma linda tarde para você
    Abraço amigo!
    Maria Alice

    ResponderExcluir
  7. A ilusão sempre ocupa lugar
    E o lugar decepção
    A crença ainda que ilusória não crê na verdade.

    E dá espaço há dor
    Ao confuso mundo que se ergue
    Sem certezas…

    Imenso teu poema.

    Gostei imenso,beijinho amiga

    ResponderExcluir
  8. A imagem colocada nesse poema, Suzete, me lembra a moça de uma história que ouvi. Certa moça ligou para a mãe, dizendo que precisava muito conversar com ela. A mãe disse que deixasse aquela conversa para outra hora, porque naquele momento estava muito ocupada. Então a moça ligou para uma amiga dizendo também que precisava muito conversar com ela. A amiga disse que estava estudando para uma prova, que ela ligasse no dia seguinte. Mas ela não ligou, porque naquele mesmo dia se suicidou. Será que não estaria viva, se tivesse conversado com a mãe ou com a amiga? Precisamos ouvir as pessoas. Meu beijo.

    ResponderExcluir
  9. Suzete,
    Apesar de tudo, é na doe que nos descobrimos, nos forjamos, nos reinventamos...

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  10. A tristeza, se não tivermos cuidado, impregna-se em nós e nem quer sair...
    Belo poema, gostei muito.
    Tem um bom fim de semana, querida amiga Suzete.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  11. Lembremos sempre que 'o choro pode durar uma noite mas a alegria vem pela manhã.' _ o amanhecer trás no bojo o mistério da renovação da mudança da esperança.
    Um bom poema reflexivo Suzete
    bom domingo e cuide-se ok?

    ResponderExcluir
  12. Pareceu-me que a beleza e a dor do poema nasceram nesta pintura
    em que até a tristeza é sublimada.
    É tão lindo, Suzete!
    O meu imenso abraço.

    ResponderExcluir
  13. Ter momentos de tristeza é, a meu ver, essencial na vivência do ser humano. É sinal de sentir, de marcar a alma com tintas mais escuras para que o colorido de outros momentos embeleze a nossa tela pessoana.

    Em termos poéticos, a tristeza é fonte inspiradora. Contudo, devemos estar em alerta para que ela não seja doentia...

    Belo o teu sentir, querida amiga. Bjo :)

    ResponderExcluir

Este é um espaço importante para você deixar inscrito:

A sua presença,

O seu sentir,

A sua leitura,

A sua palavra.

Grata por compartilhar este momento de leitura aqui!

Abraço de Paz!

Suzete Brainer.