segunda-feira, 16 de outubro de 2017

O Silêncio...


                            


                                                O silêncio:

                                                A jornada da minha alma

                                                onde as palavras se calam.

                                                O emudecer dos meus sussurros;

                                                a quietude de mim

                                                a transcorrer no silenciar

                                                o mundo,

                                                percorrendo o deserto

                                                da minha solidão permanente.


                                                A música do tempo,

                                                da esfera de dentro.

                                                A navalha que corta

                                                as palavras ao meio...


                                                A viagem da volta,

                                                a ausência dos que ficaram,

                                                o mergulho no esquecimento

                                                do passado inatingível

                                                dançando na linha do presente

                                                Impermanente!



                               Suzete Brainer ( Direitos autorais registrados)

                               Imagem: Google.

                               (Poema Reeditado).

11 comentários:

  1. Maravilhoso poema.Amei

    Beijo e uma excelente semana.

    ResponderExcluir
  2. Belíssima,Suzete! Uma joia de ler! bjs, chica

    ResponderExcluir
  3. As nossas jornadas interiores, são feitas navegando em silêncio, através do mar dos nossos pensamentos.
    Maravilhoso poema
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  4. É no silêncio que nos conseguimos ouvir e descobrir, nem sempre é um caminho agradável mas os resultados valem a pena.
    Magnífico poema, cheio de sentir e de alma!
    Obrigada por todo o carinho, um enorme beijinho.

    ResponderExcluir
  5. O silêncio faz-nos falta.
    Magnífico poema, gostei muito.
    Bom fim de semana, amiga Suzete.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  6. 20 de outubro dia do Poeta.
    Querida Poetisa, que jesus te iluminando e que você continue nos encantando com suas lindas poesias.
    Já dizia os poetas:
    “Ser poeta é fazer de cada despedida uma saudade
    É ter nas mãos os sonhos, vivê-los de verdade
    Chorar, sorrir, sem medo de viver...”

    “Poeta para ter o dom...
    Das palavras...
    Palavras de ternura... de carinho...
    E poder encher...
    nossos coração com amor
    Escrevendo seus lindos versos e poesias”.

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  7. O silêncio e palavras compõem uma tela específica diante do nosso olhar. Mas é do silêncio com palavras que se articula o discurso do poeta. E por mais que busquemos compreender por intermédio das palavras, elas se esvaem para que permaneça essa meditação silenciosa. Bela reedição para que nada se perca.
    Beijos, Su!

    ResponderExcluir
  8. É dos mergulhos no silêncio que extrais pérolas.
    É um prazer ler-te, minha querida Suzete. Sabes que venho sempre.

    Beijinho.

    ResponderExcluir
  9. O silêncio, como figura, implica mergulho ao mais profundo da alma. E a Suzete, plena de sensibilidade, soube muito bem pincelar na tela esse mergulho.

    Um beijinho :)

    ResponderExcluir
  10. O que se ouve de dentro, do âmago do singular e do universal?
    A Suzete percorre o círculo mágico da eterna translação, permanente, que se sente, da periferia para o Centro e vice-versa.
    Bj.

    ResponderExcluir
  11. MUito bonito o seu silêncio...
    beijinhos

    ResponderExcluir

Este é um espaço importante para você deixar inscrito:

A sua presença,

O seu sentir,

A sua leitura,

A sua palavra.

Grata por compartilhar este momento de leitura aqui!

Abraço de Paz!

Suzete Brainer.