sábado, 25 de agosto de 2012

Elo Perdido

[campo%2520de%2520flores-estrada%2520de%2520flores%255B3%255D.jpg]



Que espécie é essa  que se diz que evoluiu?
Que espécie é essa, tristemente humana
             a brotar das sombras feito um bicho?
Desaprendeu a preservar a espécie
            ou se perdeu no código genético?

Tivesse eu nascido pássaro
            teria já sido caçado.
Tivesse eu nascido felino
           estaria com a cabeça perdurada numa parede.
 Tivesse eu nascido pingüim
          ficaria à deriva
nas geleiras que aceleradamente se dissolvem.

O bicho homem que
Caça,mata,destrói
Em seu nome:
Preconceito
Maldade
Ambição
Prazer
Desrespeito.
Na madrugada com facadas,
Em pleno dia, assassinato encomendado.
Cilada, caçada, armadilha,
Abandono,
A miséria a céu aberto.

Que espécie é essa, o homem?
Queima índio, mendigo
Violenta, humilha os seus,
Joga as suas crias em saco ao rio.
Somos a evolução do macaco. (será?)

Quando o lado direito do cérebro será povoado com:
Arte,
Poesia,
Sensibilidade,
Meditação?...
Acordarão esses indivíduos para
a busca do seu elo perdido?

Mas, há luz
No final do túnel
        A
  A   M  A  R
        O
        R      

 Suzete Brainer (Direitos autorais registrados).

    

13 comentários:

  1. A sensibilidade de um olhar atento,
    o grito, à flor da pele, a luz,
    a esperança, laços invisíveis,
    poesia.

    Beijinho, Suzete, e um bom domingo :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Brígida,

      Gosto muito de receber esse teu olhar poético aqui!

      Beijinho.

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Na imparável voracidade dos dias,
    involução

    Na impenetrável insensibilidade dos egos,
    involução

    Na dissoluta solvência da alma,
    involução

    Talvez só uma luz
    (uma prece, uma fé, que se escreve como cruz)


    A
    A M A R
    O
    R


    Bjo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim,amigo.A luz(caminho)em forma de cruz em amor e no

      amar...

      Adoro este teu generoso caminhar(luz) pela minha

      escrita.

      Bjo.

      Excluir
  4. Inquietantes perguntas.
    Num excelente poema.
    Gostei muito das tuas palavras.
    Suzete, minha querida amiga, tem um bom fim de semana.
    Beijo.
    (voltando de férias... aos poucos...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada,querido amigo.

      Sempre adoro a tua presença aqui!

      Beijo.

      Excluir
  5. A contribuição do homem no desequilíbrio e na desarmonia da natureza - um elo perdido.
    É, no entanto, harmoniosa a tua poesia, embora triste pelo tema em análise.
    Parabéns, amiga. É sempre muito bom passar pelo teu cantinho.
    Beijinhos.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para mim,amiga é sempre um presente receber a tua

      visita e carinhosas palavras!

      Beijinhos.

      Excluir
  6. Poema de (in)contida revolta perante atitudes que não deviam ser praticadas pelo ser humano. São contra natura, contudo mesmo as almas sensíveis têm de fazer "das tripas coração" - como por cá se diz, para o seu próprio equilíbrio mental.

    Terminas com a crença de que a semântica das palavras amor/amar prevaleçam para um futuro mais humanizado.

    Forte!

    Bjo, querida amiga

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre grata,querida amiga por ser tão compreendida

      por ti...

      Bjo.

      Excluir
  7. Talvez, o elo não se tenha perdido e renasça em seres como tu,
    Aqueles que crêem,
    Mas sim, há muita maldade no ser humano
    Inteligência? Não vejo onde…

    Tens a luz das estrelas dentro da alma.

    Beijinhos amiga!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre as tuas generosas palavras ecoam profundamente

      em mim,o valor do carinho da amizade que renova

      a alma...

      Beijinhos amiga e muita saudade!!

      Excluir

Este é um espaço importante para você deixar inscrito:

A sua presença,

O seu sentir,

A sua leitura,

A sua palavra.

Grata por compartilhar este momento de leitura aqui!

Abraço de Paz!

Suzete Brainer.