quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Aos Poetas...



Candle_Light_18x14_900px




Sempre estarei atenta,

À gentileza da alma.

Esta me mobiliza

Um sorriso aberto,

Uma mão estendida...

Gosto de ser conduzida

Pelo olhar dos poetas,

A desconstruir a normalidade;

Flutuar pelas curvas da invisibilidade,

Sentir as palavras na efervescência

Da brevidade dos instantes libertários,

Nas páginas da vida...



Acredito nas almas dos poetas,

Encantadores do tempo,

Equilibristas:

Passos entre o sonho e a realidade.

Existe uma magia sobre os poetas,

Uma insubordinação do imaginário,

Uma transgressão da mortalidade,

Uma sede visceral

Da emoção...




Suzete Brainer (Direitos autorais registrados)

Imagem: Obra de Ignat Ignatov


Dedico a todos, no espaço de cada um,

encontro a arte singular e bela.

Encantadora aos meus olhos...

PS: Para mim, o poeta não só é

quem escreve, mas também o que sente,

olha o mundo e traduz em arte.




15 comentários:

  1. OI SUZETE!
    LINDO!
    ESTA HOMENAGEM QUE FAZES AO POETA, SERVE PERFEITAMENTE PARA QUE A DEDIQUEMOS A TI, QUE ESCREVES COM A ALMA...
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. a imagem acompanhou muito bem esta homenagem em forma de poema aos Poetas.
    muitos parabéns, minha doce amiga.
    obrigada em nome deles (os Poetas)
    beijo carinhoso

    :)

    ResponderExcluir
  3. De todos os epítetos com que acarinhou os poetas, relevo um: encantadores do tempo.
    Maior elogio não poderia ser feito.
    bj

    ResponderExcluir
  4. A poesia liberta, conduz, encontra
    (nos)

    Bjo.

    ResponderExcluir
  5. Minha querida

    Passando para agradecer a visita e palavras de carinho que me deixou e como adorei a sensibilidade que encontrei aqui, tomei a liberdade de seguir e voltar mais vezes.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  6. Olá Suzete!
    Outro maravilhoso poema!
    É verdade, os poetas não querem nunca render-se à monotonia; em tudo põem a alma para descobrir a beleza, tornar os instantes eternos, viver da emoção.
    Todos os versos são lindos, mas destacaria especialmente este; " Sempre estarei atenta à gentileza da alma". É isso, o poeta é gentil até com as pedras, e guarda em si a paciência do mundo.
    Muito querida a tua dedicatória a todos, e tens toda a razão, poeta não é somente aquele que escreve, mas é todo aquele que sente...
    Adorei!
    xx

    ResponderExcluir
  7. Gosto de ser conduzida pelo teu olhar de poeta:
    "Uma insubordinação do imaginário,
    Uma transgressão da mortalidade,
    Uma sede visceral"

    Que elevação amiga!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  8. Voltei ao poema
    não resistindo a sublinhar dois versos soberbos que ilustram o que É poesia

    "Uma insubordinação do imaginário,
    Uma transgressão da mortalidade,"

    Sim, há uma insubordinação insubmissa ao verso
    há transgressora promessa de eternidade
    como traço visceral de um recriado mundo
    quase real
    quase etéreo


    este teu espaço final de poema é verdadeiramente excepcional

    bjo.

    ResponderExcluir
  9. "Uma sede visceral". Por isso o poeta tem o dom de tirar água de pedra só para nos encantar.

    Uma bela homenagem, Suzete.

    Beijo e um lindo domingo.

    ResponderExcluir
  10. Os poetas transformam a realidade em ficção (alguém o disse...).
    E o leitor faz parte do poema, torna-se também um pouco em ficção quando se envolve nas palavras e, principalmente, nas emoções que elas lhe transmitem.
    Gostei da tua homenagem. É um belo poema.
    Suzete, minha querida amiga, tem um bom resto de domingo e uma boa semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  11. Ao poeta, tudo ou "quase" tudo é permitido.
    Porque no seu sonhar...no seu sentir... ele transcende a barreira do visível, do possível, do palpável, e extrapola-se no infinito das suas emoções...

    Belo texto!!!

    Um grande beijinho meu!!!

    ResponderExcluir
  12. Ao poeta, tudo ou "quase" tudo é permitido.
    Porque no seu sonhar...no seu sentir... ele transcende a barreira do visível, do possível, do palpável, e extrapola-se no infinito das suas emoções...

    Belo texto!!!

    Um grande beijinho meu!!!

    ResponderExcluir
  13. Ser conduzida pelos sentimentos
    Pelas memórias e sentidos de outros
    Pelo sonho ou dor
    Pelos caminhos que se constroem na imaginação

    Os poetas…
    Místicos seres…“equilibristas” na palavra para que a alma
    Viva.
    No tempo todo o verso perdura
    Imortal
    Para além do tempo.
    Ainda que os versos morram,
    ( fica no espaço a palavra)

    Gostei muito,muito.

    Adorei,a forma como descreves os poetas.
    E o sentimento.

    Beijinho, amiga poetisa
    de imortal letras.

    ResponderExcluir
  14. Subscrevo completamente todo este sentir...
    Ser poeta é ver diferente, é olhar para algo/alguém e sentir na alma uma pulsão emocional...
    Bjos, querida Suzete :)
    (Em breve regressarei às visitas aos blogues...)

    ResponderExcluir

Este é um espaço importante para você deixar inscrito:

A sua presença,

O seu sentir,

A sua leitura,

A sua palavra.

Grata por compartilhar este momento de leitura aqui!

Abraço de Paz!

Suzete Brainer.