quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Índios vestidos dos dias...






Hoje na tela do mundo, algo me encantou...

Vi um pequeno grupo de índios

em sua natureza pura e imaculada.

Filhos da floresta amazônica caminhavam

com a luz que carregavam do sol,

germinado por um coração cheio de liberdade...

Como eram belos e sem fardo:

a vida brotava nos seus passos largos,

a leveza de pertencer à natureza e dela saber o todo mistério.

E o olhar profundo de sentir a pulsão da vida;

no ar, na água, no fogo e na terra.


Hoje, os meus olhos foram inundados

por um sentir de liberdade...

E uma vontade, que o sagrado da natureza,

sempre os proteja nas longas caminhadas.


Os índios caminhavam

vestidos dos dias, nos passos da natureza...



Suzete Brainer (Direitos autorais registrados)




19 comentários:

  1. No fundo de cada um de nós

    há um índio silvestre

    ResponderExcluir
  2. Olá Suzete!
    Um belo poema, de novo.
    Para além da tua descrição fantástica consegui sentir essa liberdade no seio da natureza profunda, que só a natureza pode dar.
    Homens livres de todos os espartilhos de uma sociedade que tenta matar a sua própria natureza todos os dias, esquecendo que somos belos bichos, não em selvas de pedra mas na intimidade da natureza.
    Quanto mais o homem se despe de natureza, menos livre será.
    Muito bonito!
    xx

    ResponderExcluir
  3. OI SUZETE!
    UM LINDO TEXTO, NO QUAL INTEGRAS A NATUREZA E ESSES SERES, OS ÍNDIOS, QUE SÃO A PRÓPRIA...
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Mais uma vez estou voltando
    com as mãos estendidas
    para segurar as suas com infinito amor.
    Que , a alegria de dividir meus sonhos
    seja bem recebida por você e ,
    que você também compartilhe
    desse meu sonho.
    Que , nossa amizade nos permita compartilhar
    alegrias , felicidades e também nossas tristezas.
    A mais preciosa amizade é alimento ,
    que sacia nossa alma
    é aquela , que crê em nós
    é aquela , que nos aceita da forma , que somos ,
    pois somos seres humanos
    parecidos sim nunca com pensamentos iguais.
    Um abençoado e feliz final de semana.
    Beijos no coração ,paz e carinho na alma.
    Evanir.
    PS:Com a chegada da primavera na
    postagem tem um mimo
    da primavera.
    Carinhosamente te ofereço
    um mimo é simples mais feito com
    muita ternura.
    Uma oferta de amor pela nossa amizade.

    ResponderExcluir
  5. Bom dia

    Um poema sedutor, brilhante

    Conheci hoje este seu espaço, gostei, pelo que fiquei seguindo
    Linkei no: http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

    Fique feliz

    ResponderExcluir
  6. Bom dia

    Um poema sedutor, brilhante

    Conheci hoje este seu espaço, gostei, pelo que fiquei seguindo
    Linkei no: http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

    Fique feliz

    ResponderExcluir
  7. Bom dia

    Um poema sedutor, brilhante

    Conheci hoje este seu espaço, gostei, pelo que fiquei seguindo
    Linkei no: http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

    Fique feliz

    ResponderExcluir
  8. fiquei arrepiada e comovida!

    um dia serei índia vestida de dia e de poesia!

    um dia!

    bom fim de semana.

    beijo

    ResponderExcluir
  9. Que poema rico de imagens puras e belas, como são os índios em sua nudez desprovida de qualquer pecado. Quando vejo um documentário assim, digo: Ganhei o dia! Quem veste os índios para poder mostrar na TV é um imbecil. Meu beijo, Suzete.

    ResponderExcluir
  10. Bela abordagem de um tema tão aliciante: o índio como ser livre e em consonância com a natureza.

    "Como eram belos e sem fardo:

    a vida brotava nos seus passos largos,

    a leveza de pertencer à natureza e dela saber o todo mistério."

    Parece que conseguiste apanhar este precioso mistério no teu poema!

    Felicito-te, amiga.
    Mil beijos.


    ResponderExcluir
  11. Vestir-mo-nos de nós mesmos, despidos de tudo o resto, esse é o caminho.
    bj

    ResponderExcluir
  12. Soubéssemos nos ser livres
    da ganância
    do tempo
    fôssemos mais terra-alma
    teríamos muito mais em nós.

    Sempre bom, ler teu desprendimento... Tua filosofia.

    Beijinhos grandes, amiga

    ResponderExcluir
  13. Suzete,
    Talvez seja por isso que, cada vez mais, se amordaça essa forma de viver, de sentir...
    Muito bem!

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  14. Um caminho ao encontro da essência...um poema que eleva o espiritual em detrimento da ambição e do poder...
    Assim fosse a consciência humana!!!

    Grata Suzete por este belo momento de reflexão...beijinho!

    ResponderExcluir
  15. Um caminho ao encontro da essência...um poema que eleva o espiritual em detrimento da ambição e do poder...
    Assim fosse a consciência humana!!!

    Grata Suzete por este belo momento de reflexão...beijinho!

    ResponderExcluir
  16. "Os índios caminhavam

    vestidos dos dias, nos passos da natureza..."

    É raro transcrever alguns versos do poema no comentário. Neste, contudo, os versos transcritos, são, na sua essência o poema, o teu sentir, a tua sensibilidade, o teu respeito, a tua alma ...Uma alma que se revê na simbologia da vida dos índios, no que respeita à liberdade, à comunhão com a natureza, quiçá, a pureza que, formatados pelas regras sociais, fomos perdendo, no emaranhado da "selva" humana.
    (Estou a retomar, aos poucos, as visitas aos cantinhos que me encantam.)

    Querida Suzete, foi mais um belo momento de interioridade. Grata por ler-te.
    Bjos :)

    ResponderExcluir

Este é um espaço importante para você deixar inscrito:

A sua presença,

O seu sentir,

A sua leitura,

A sua palavra.

Grata por compartilhar este momento de leitura aqui!

Abraço de Paz!

Suzete Brainer.