quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Hoje, Eu Acordei Gaivota...








As gaivotas

Voam.

Ondas do meu

Pensamento

Sobrevoam

O celeste,

Na busca do sopro

Que me distancie

Do asfalto.


Deixa gaivota,

Que por hoje

Eu seja o espírito

Que te habita;

O movimento das tuas asas;

A luminosidade do teu voo,

Pela trilha de uma

Liberdade

Que não me pertence.


Deixa-me sentir

O asfalto

Inexistente,

Diante de um

Mergulho no

Mar,

Vindo do céu

Que te pertence.


Hoje, eu sou gaivota

Imaginária,

Mesmo

Assim,

Em pleno

Voo do

Meu sentir...





Suzete Brainer (Direitos autorais registrados)


Imagem: Google.






14 comentários:

  1. Lindo sentir-se assim...Voar...bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. No vento uma sinfonia de gaivotas.
    E meus olhos as seguiam
    ouvindo a melodia
    até descobri
    que mitologicamente
    tu regias a sinfonia.
    Beijos, Su!

    ResponderExcluir
  3. Uau! Que bonito, Suzete. Amei

    Beijinhos de boa noite.

    ResponderExcluir
  4. Como não sentir o desejo de voar após a leitura do texto? AbraçO

    ResponderExcluir
  5. E acordou muito bem, pois o poema é belíssimo!
    beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Suzete, sinceramente, és uma poetisa, e hoje eu, como um construtor de versos ou versejador, pasmei ao ler teus versos, imagens e detalhes: "acordei gaivota" - "o sopro que me distancia do asfalto" - "deixe eu ser espírito que te habita" - "mergulho ao mar vindo do céu que te pertence"... Suzete, és demais! Teu poema está lindo, lindo, lindo!... Meus sinceros cumprimentos! Grande abraço. Laerte.

    ResponderExcluir
  7. Faz tanto tempo que não passo por aqui. Porquê? Francamente não sei.Como posso ter esquecido e não dar conta destes maravilhosos poemas de tão distinta poetisa? Mea Culpa! Querida Amiga de longa data.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito grata, Amigo!!
      Sim, a nossa amizade de partilha literária desde
      a waf e depois existem estas pausas com afastamentos,
      mas a admiração e amizade continua.
      Grande abraço, admirável poeta!

      Excluir
  8. Bem me pareceu que vi por aqui uma gaivota diferente...a arriscar voos mais ousados, como o fez Fernão Capelo Gaivota...
    Maravilhoso poema, Suzete!
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  9. Um poema tão belo e suave como o voo de uma gaivota.
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  10. E a poeta foi mesmo gaivota, no voo que as palavras tão bem e lindamente sustentam, como asas...
    BJO, querida Suzete

    ResponderExcluir
  11. Mais um post, resultante de um mix perfeito do seu talento para a poesia, Suzete, com as demais escolhas perfeitas, em termos de imagem e música!
    Lindíssimo post, onde apetece pousar os olhos e a alma!...
    Adorei tudo! Beijinhos
    Ana

    ResponderExcluir
  12. Magnífico voo! Senti-me gaivota na palavra e na melodia.
    Beijinho, amiga.

    ResponderExcluir
  13. Fernão Capelo Gaivota!
    Suzete, a gaivota, num voo de serenidade. Imperturbável.
    Bj.

    ResponderExcluir

Este é um espaço importante para você deixar inscrito:

A sua presença,

O seu sentir,

A sua leitura,

A sua palavra.

Grata por compartilhar este momento de leitura aqui!

Abraço de Paz!

Suzete Brainer.