sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

O Som do Meu Violino








   Marcas petrificadas

  que evocam fantasmas 

  de um tempo perdido,

      (enterrados) 

 que anuncia a música da renovação.

 Assim, toco a minha música

 sem a tal mágoa;

transfigurada ao som do meu violino,

libertador e divino...


Sim, a música silencia as dores

recolhidas nas asas feridas

e cada nota sublime

harmoniza o impulso para o voo.


Fico ao som do meu violino:

a melodia é de paz.

Fico num silêncio profundo

vestido em mim.

Às vezes silencio diante do mundo,

às vezes silencio diante das pessoas.

Há uma quietude que não me perturba,

há uma solidão que me cabe;

uma caminhada bem longe de mim,

um perto que só eu conheço.

E fico ao som do meu violino...


                                      

                        
Suzete Brainer (Direitos autorais registrados)

Imagem: Obra de Andrew Atroshenko.




19 comentários:

  1. Deve ser bonita a musica que sai desse violino,gostava de ouvir. Passo por aqui para deixar o meu carinho e a minha paz,aproveito para desejar bom carnaval,disfruta bastante destes dias super perfeitos!! Muitos beijinhos,fica com deus e até breve!! http://musiquinhasdajoaninha2.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  2. Existem marcas gravadas em nós de um tempo que se perdeu, não porque tivesse sido perdido, mas porque hoje aos nossos olhos assim nos surge. Em fantasmas enterrados que teimam em fazer lembrar que asas estão feridas. O som do violino permite a sublimação da dor, mas é o silêncio da nossa quietude que possibilita o renascimento cuja caminhada é geralmente longa e solitária.
    Poema muito bem estruturado, feito de sons e de silêncios, como a nossa vida.
    A imagem também é muito bonita.
    xx

    ResponderExcluir
  3. o som do violino, dizem e acrescento eu que o sinto,
    é talvez o som "artificialmente produzido" mais perto da voz
    e, assim, é como um verso sem palavras

    Talvez por isso
    o som silencie a dor
    e impulsione o verso.

    Bjo. amigo

    ResponderExcluir
  4. Linda melodia de paz. Beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  5. Às vezes silencio diante do mundo, às vezes silencio diante das pessoas, MAS NÃO SILENCIO DIANTE DA VIDA, e fico ao som do meu violino. Meu beijo, Suzete.

    ResponderExcluir
  6. Reformular, revigorar, harmonizar...
    Belo, Suzete!

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  7. Que som mais belo o do violino, para esquecer as mágoas passadas e libertar a alma.
    Belissimo poema.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  8. Gostei do som do som do teu violino...
    Isto é, gostei muito do teu poema, porque é excelente.
    Suzete, tem uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Um violino que nos deslumbra, enquanto o piano toca poesias sublimes que nos acariciam a alma...
    Belíssimo poema Suzete...bem construído e profundo.

    Beijinho e boa semana...:)

    ResponderExcluir
  10. Minha querida

    Há sentimentos que só a música nos pode transmitir e nos embalamos suavemente em cada acorde. Lindo sempre ler-rte.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde, Suzete. Lindo poema. A música tem o poder de nos deixar em perfeita harmonia com o nosso eu interior, que muitas vezes triste, procura um afago, um consolo que certamente encontra nas notas que envolvem nossos ouvidos e nossa alma.
    Parabéns!
    Beijos na alma e linda semana de paz!

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. O renascimento mesmo que doído
    seja, ainda que a memória persista
    O som de um mundo a eclodir através
    de “lugares “só permitidos a ti
    Que de volta trazem flores,
    Uma solidão que é precisa.

    Gostei do som da tua poesia,

    Beijinho

    ResponderExcluir
  14. Dos fantasmas "enterrados", floresce a renovação interior, que se pode equivaler a uma música inaudível ao ouvido do outro. E essa renovação, vai sendo sentida em crescendo, tal a música que vais compondo. É a do violino, eu diria a da alma. Por isso não há solidão. O teu interior envolve uma sala cheia de ouvintes...O teu interior alimenta-te... E nele vibras de vida!

    Aplaudo os que não precisam de palmas. Aplaudo a tua sensibilidade...
    (Esqueço-me de referir, mas aprecio imenso a escolha que fazes das imagens.)

    BJOS, querida Suzete :)

    ResponderExcluir
  15. A música nos liberta das amarras da Terra, voamos a universos divinos! abração

    ResponderExcluir
  16. Feliz e Lindo dia para ti, também :-)

    Voltarei mais tarde...

    Beijo grande

    ResponderExcluir
  17. A harmonia e o bom gosto do teu poema tocam-me profundamente. Como se do teu violino emanasse uma poesia transcendental!
    Parabéns, querida amiga!
    Beijinho.

    ResponderExcluir
  18. Querida Su,

    Como me identifiquei com este teu poema,acho que o violino da

    minha alma toca a mesma música ...rsrs

    Mas em mim falta a calma... O importante é o valor do caminho

    da paz,cada passo e isso eu sei...

    Belíssimo poema!!!!

    Beijos,querida amiga!

    Nara.

    ResponderExcluir

Este é um espaço importante para você deixar inscrito:

A sua presença,

O seu sentir,

A sua leitura,

A sua palavra.

Grata por compartilhar este momento de leitura aqui!

Abraço de Paz!

Suzete Brainer.